terça-feira, 20 de junho de 2017

O Garotinho de Helen E. Buckley

Escola Estadual Professor Manuel Rufino
“Educando para a Vida!”

1 - Leia o texto, em seguida, faça um paralelo entre esse texto: O Garotinho e o livro que você leu: Pedagogia da Autonomia de Paulo Freire.


O Garotinho
Helen E. Buckley

Uma vez bem um garotinho foi para escola ele era bem um garotinho e a escola era bem grande mas quando o garotinho viu que podia ir para sua escola caminhando diretamente da porta de lá de fora ele   ficou feliz e a escola não parecia tão grande assim!

Numa manhã, quando o garotinho estava há pouco na escola, professora disse:
- Hoje nós vamos fazer um desenho.
- Bom, pensou o garotinho,
Ele podia fazer todas as coisas:
Leões e tigres, galinhas e vacas, trens e barcos...
E pegou sua caixa de lápis e começou a desenhar.

Mas, a professora disse:
- Espere!
Não é hora de começar!
E ela esperou até que todos estivessem prontos.
- Agora, disse a professora nós vamos desenhar flores.

- Bom! Pensou o garotinho. Ele gostava de desenhar flores e começou a fazer bonitas flores.
Com lápis cor de rosa, laranja e azul. Mas a professora disse:
- Esperem!
Eu mostrarei como se faz!
E era vermelha, com a haste verde.
- Aí disse a professora
Agora vocês podem começar.

O garotinho olhou para a flor da professora
Então, olhou para a sua.
Ele gostava mais da sua flor do que a da professora.
Mas ele não revelou isso.
Ele apenas guardou seu papel
E fez uma flor como a da professora
Era vermelha, com a haste verde
Outro dia,
Quando o garotinho o garotinho abria a porta lá de fora
A professora disse:
- Hoje nós vamos trabalhar com argila
- Bom! Pensou o garotinho
Ele podia fazer todos os tipos de coisas com argila:
Cobras e bonecos de neve,
Elefantes e ratos,
Carros e caminhões...
E começou a puxar e amassar
A bola de argila.

Mas, a professora disse:
- Esperem! Não é hora de começar!
E ela esperou até que todos estivessem prontos.
- Agora, disse a professora.
Nós vamos fazer uma travessas
E começou a fazer algumas
De diferentes tamanhos e formas               .

Mas a professora disse:
- Esperem! E eu lhe mostrarei como fazer
Uma travessa funda
- Aí, disse a professora
Agora podem começar.

O garotinho olhou para a travessa da professora
Então, olhou as suas
Ele gostava mais das suas do que as da professora
Mas não revelou isso
Ele apenas amassou a argila, numa grande bola
E fez uma travessa como a da professora
Que era uma travessa funda.

E logo, o garotinho aprendeu a esperar.
E a observar,
E a fazer as coisas como a professora.
E logo,
Ele não fazia as coisas por si mesmo.
Então aconteceu
Que garoto e sua família
Mudaram para outra coisa casa,
Numa outra cidade,
 E o garotinho
Teve que ir para outra escola.

Essa escola era ainda maior
Do que a primeira,
Então havia a porta lá fora
Para sua escola.
Ele tinha que subir alguns degraus
E seguir por um corredor comprido
Para chagar à sua sala.

E justamente no primeiro dia,
Que ele estava lá,
A professora disse:
- Hoje nós vamos fazer um desenho.
- Bom! Pensou o garotinho.

E esperou pela professora
Para dizer- lhe o que fazer.
Mas ela não disse nada.
Apenas andou pela sala.
Quando aproximou- se do garotinho
Ela disse: - Você não quer desenhar?
-  Sim disse o garotinho.
- Mas o que vamos fazer?
- Eu não sei, até que você o faça,
- Como eu farei? Perguntou o garotinho.
- Por que? Disse a professora do jeito que você quiser.
- E de qual cor? Perguntou ele.
- De qualquer cor, disse a professora.
- Se todos fizessem o mesmo desenho
E usássemos as mesmas cores,
Como eu poderia saber quem fez o quê,
Qual era qual?
- Eu não sei, disse o garotinho,
 E começou a fazer uma flor vermelha, com a haste verde.

Obs: O comentário será registrado de acordo com sua dupla. Um abraço carinhoso.

sábado, 17 de junho de 2017

A coelhinha que não gostava de estudar.

Contação de História....

Alunos da Escola Municipal Manoel Mayrink Neto, juntamente com as professoras Fábrica e Enedina, visitam o setor infantil da Biblioteca Anita Ayres.


História adaptada pelas alunas do terceiro período do Curso Normal em Nível Médio: Ana Paula, Gilvânia e Sandra Patrícia.

A Magia da Paciência (livro da Biblioteca Anita Ayres Setor Infantil).

Búfalo: - Olá criançada!
Eu sou um búfalo e moro lá na floresta, só que nesta há um macaco bem travesso, muito sapeca e ele gosta de aprontar muito comigo, ele não consegue ficar quieto e isso me deixa muito nervoso.
Vejam só quando ele aparecer o que ele gosta de aprontar...Aguardem!!
Macaco: - KKK... Eu adoro ficar em cima das árvores para observar os meus amigos lá de baixo!
- E olha lá o seu búfalo, todo se achando, vou atormentar o sossego dele.
Obs.: (O macaco atira coquinhos e pula nas costas do búfalo, segurando os chifres e puxa o rabo dele fazendo muitas gracinhas).
- Eu sei que essas brincadeiras incomodam bastante o búfalo, só que ele não liga, não ta nem aí pra mim, não sei como, mas ele consegue me ignorar, e  aguenta tudo com muita paciência e sem reclamar, nem me castiga pelas minhas travessuras.
_ Aqui tem muitos outros animais, mas só que eu gosto mesmo é de me divertir é com o búfalo, ele é gordinho, tens uns chifres grandes que até brinco de cowboy e tem um rabo enorme que adoro ficar puxando.
_Ah! Quer saber acho melhor eu ir embora e depois eu volto.
Obs.: (O búfalo: Olá para o macaco indo embora e não fala nada com ele, balança a cabeça e diz bem baixinho.)
Búfalo:_ Que Macaco travesso!
Obs.: (Nesse instante aparece o elefante.)
Elefante: Olá senhor búfalo, estava observando você de longe e vendo o que o macaco aprontava com você, e os outros animais estão curiosos inclusive eu.
_Me diz senhor búfalo? –Porque tolera tanto as travessuras do macaco? _ porque o senhor não chama atenção dele? Porque o senhor é tão paciente, porque não pune o macaco?
_ Como consegue ser tão paciente com aquele macaco travesso?
Obs.: (O búfalo olha para o elefante e diz com uma voz doce e suave).
Búfalo:_ Sou grato ao macaco por me ensinar a ser paciente,  como posso ficar bravo com ele por me ensinar tamanha virtude!
E para todos vocês que me ouviram, espero que aprendam uma lição.
Obs.: (Enquanto o búfalo e o elefante e o elefante conversam o macaco se sente envergonhado, ele desce e pede...)
Macaco: _ Me desculpe senhor búfalo, estou envergonhado com as minhas travessuras, prometo não te atormentar com as minhas brincadeiras.
Búfalo:_ Está bem, seu macaquinho travesso, quero que continuemos bons amigos e que aprenda a se comportar e ter paciência, pois a paciência é uma virtude que gera mudanças positivas, não somente em nós como também nos outros que vivem em nosso redor.

















Gostaria de agradecer aos alunos e as professoras por terem realizado a visita. Acredito que foi de vital importância! E as minhas alunas por terem colaborado com a contação de história. Vocês são um máximo!
Afinal, ler é mudar de tamanho!

domingo, 4 de junho de 2017

Alunas do Curso Normal confeccionam materiais:

Disciplina: Metodologia da Educação Especial

Professora: Elaine







Continuem se dedicando, pois estamos na reta final..
Um abraço carinhoso!

Obs: Breve postarei o porquê e para que de cada material.

terça-feira, 23 de maio de 2017

domingo, 14 de maio de 2017

Homenagem para as mães...

Escola Bíblica Dominical

A lição contribuiu muito com esse dia: Rute, uma mulher Digna de Confiança.
























Passamos uma manhã abençoada em nome de Jesus, um abraço a todas as mães!